Posts com a TAG ‘município’

Os homenageados

Lista das figuras homenageadas no centenário de O Municipio…

Cel. Joaquim José de Souza e dr. José Maria de Oliveira Souza, homenagem póstuma aos grandes nomes de destaque nas áreas empresariais, sociais, políticas e filantrópicas da cidade, imprescindíveis na emancipação de Bicas. Se não fosse a iniciativa de ambos, a comemoração não seria possível.

José Arnaldo Ferreira Jorge: escreveu no jornal pela primeira vez em 1978, e atua como colunista, há mais de 25 anos, além de ter sido o organizador da bonita festa em comemoração aos 91 anos do jornal, realizada em 2007.

Sebastião de Souza Campos: além de tipógrafo, era autor das crônicas “Rabiscando”. Nome que se confunde com a história do jornal, onde começou a trabalhar ainda jovem, em 1922, permanecendo até 1991, quando faleceu. Seus filhos Galdino e Rubens e seus netos também exerceram a mesma função no jornal. Recebeu a homenagem em nome de todos os tipógrafos que trabalharam em O Município.

Nelson de Souza Ramos: saudoso articulista, por mais de 40 anos, com grande participação nos editoriais do jornal. Recebeu a homenagem em nome de todos os colaboradores antigos do jornal.

Júlio Cezar Vanni, saudoso colunista, historiador e responsável pelo laudo de tombamento do acervo do jornal pelo IPHAMG e o maior incentivador do centenário. Recebeu a homenagem em nome de todos os colaboradores de outras cidades.

José Cúgola: saudoso articulista e responsável pelo obituário por muitos anos. Como vereador, prestou várias homenagens ao jornal na Câmara Municipal de Bicas. Recebeu a homenagem em nome de todos os colaboradores que não foram homenageados em vida.

José Maria de Souza Ramos: articulista e primeiro colunista social do jornal, nas décadas de 60 e 70.

Amilcar Monteiro da Silva Rebouças, cronista há 17 anos.

José Luiz Machado Rodrigues, cronista há 12 anos.

Amarildo Mayrink, colaborador há 10 anos.

Chicre Farhat: escritor, poeta e articulista. Há 60 anos escreve para o jornal, sendo o mais antigo colaborador de O Município.

Cesar Romero Giovannini Correa, jornalista responsável pelas edições do jornal, há 20 anos, e grande colaborador com notícias, fotos e publicidades.

Josette, Raphael, Guilherme e Marcelo, esposa e filhos do diretor. Nos últimos 25 anos, apoiaram e incentivaram a continuidade de O Município.

Imagens do Foto Adelson

José Maria de Oliveira Souza Neto e Maria José Souza Costa, netos e bisnetos dos homenageados Cel. Souza e José Maria de Oliveira Souza (in memoriam), recebendo a placa de José Maria Machado Veiga

Ulisses da Silva Campos, filho do homenageado Sebastião de Souza Campos (in memoriam), recebendo a placa de Bertoldo Machado Veiga

Neusália de Souza Ramos Ferreira, filha do homenageado Nelson de Souza Ramos (in memoriam), recebendo a placa de Ana Maria Machado Veiga França

Sérgio Vanni, sobrinho do homenageado Júlio Cezar Vanni (in memoriam), e colunista de O Município, recebendo a placa de Bertoldo Machado Veiga

Maria das Graça Cúgola Ventura, filha do homenageado José Cúgula (in memoriam), recebendo a placa de Ana Maria Machado Veiga França

Marcelo Sales de Souza Ramos, filho do homenageado José Maria de Souza Ramos, recebendo a placa de Luiz Roberto Machado Veiga

Amílcar Rebouças recebendo a placa de José Maria Machado Veiga

José Luiz Machado Rodrigues recebendo a placa de Carlos Augusto Machado Veiga

Amarildo Mayrink recebendo a placa de Luiz Roberto Machado Veiga

Celeida Farhat Casella, sobrinha do homenageado Chicre Farhat, recebendo a placa de Carlos Augusto Machado Veiga

Cesar Romero recebendo a placa de José Maria Machado Veiga

Zé Arnaldo recebendo a placa de Carlos Augusto Machado Veiga

Josette, Raphael, Guilherme e Marcelo recebendo a placa de José Maria Machado Veiga

O marco dos cem anos

Todos os participantes das comemorações do centenário de O Município previam resultado positivíssimo em relação aos eventos, principalmente quanto ao baile, cujos ingressos se esgotaram em janeiro, gerando longa fila de espera.

A confraternização entre biquenses – muitos não se viam há anos – elevou o astral da festa ao clímax. De repente, o amplo ambiente do Esporte CB ficou pequeno pra tanta emoção.

Num só abraço, sincero, amigos se envolviam, e a gratidão do momento se fez presente em todos. Para completar o belo encontro, há muito não presenciado em Bicas e que, dificilmente será superado, por envolver tanta tradição e tanta história, só mesmo a excelência da Orquestra Além Paraíba e do Martha’s Buffet.

A hora do 'Parabéns pra você...' no Esporte CB

Homenagem no legislativo
A Câmara Municipal de Bicas concedeu “Moção de Aplausos” pelos 100 anos de vida do jornal. A sessão, ímpar, realizada dia 29 de abril, teve como cerimonialista a advogada Bianca Rossi.

O presidente Júlio César de Sales Pereira iniciou os trabalhos discorrendo sobre a trajetória do homenageado e, na sequência, o porta-voz, Carlos Augusto Machado Veiga, complementou a fala do vereador e fez vários agradecimentos em nome de O Município.

Enquanto isso, um telão exibia exemplares do periódico e imagens antigas de Bicas, seguindo no mesmo sentido da decoração do estabelecimento, todo envolto em edições e fotos significativas. Membros da família Machado Veiga e amigos entraram no recinto exibindo exemplares importantes do jornal.

A honraria foi proposta pelo vereador Rafael Cândido Aquino e concedida pela Mesa Diretora e demais vereadores, em reconhecimento ao relevante trabalho desenvolvido nesses 100 anos.

A missa
A celebração festiva em ação de graças, aconteceu no sábado, dia 30 de abril, com a participação emocionada dos familiares, colaboradores e da comunidade.

O padre Leonardo, na homilia, lembrou que as leituras do dia remetiam à boa notícia e à importância de os apóstolos levarem a boa-nova a todos os povos, traçando um paralelo ao fato de O Município levar as notícias da cidade e região, especialmente, aos biquenses ausentes.

O coral Cantores de São José animou o evento religioso.

Família Machado Veiga participando da missa

O baile
Coube ao titular da CZA realizar o protocolo do baile do centenário, e ao Carlos Augusto Machado Veiga falar em nome do jornal e da família. Em seu sucinto pronunciamento, o preletor resumiu bem a história e agradeceu a todos os colaboradores do periódico.

Ao longo de sua existência, O Município recebeu e prestou inúmeras honrarias, e a ocasião era propícia para tanto. Desse modo, e na impossibilidade de homenagear individualmente a todos que contribuíram para a comemoração em tela, foram realizadas homenagens a alguns colaboradores, representando os demais, todos decisivos na história do jornal.

Sérgio Vanni (representando Júlio Cezar Vanni, in memoriam), José Luiz Machado Rodrigues, Amílcar Rebouças, Zé Arnaldo, Amarildo Mayrink e Cesar Romero foram alguns dos homenageados pela direção do jornal

Moção

A Câmara Municipal de Bicas concedeu “Moção de Aplausos” pelos 100 anos de existência do jornal O Município.

A honraria foi proposta pelo vereador Rafael Cândido Aquino e concedida pela Mesa Diretora e demais vereadores, em reconhecimento ao brilhante trabalho desenvolvido nesses 100 anos do jornal, que noticiou momentos históricos de Bicas e região.

Excluviso

A CZA vai aplicar na tela, agora, o artigo que o renomado jornalista esportivo Marcelo Barreto escreveu exclusivamente para o jornal O Município, n. 2.590, edição de março de 2016.

A volta ao mundo em 250 metros

Na infância sem tablet, wifi e Facebook que passei na Avenida Brasília, o Almanaque dos Esportes 1975 era uma de minhas grandes fontes de diversão.

Dividia espaço com a girafa de borracha e o avião grande de plástico que soltava a asa (brinquedos que me fizeram levar um belo tombo, quando tive a brilhante ideia de equilibrar um banquinho sobre uma cadeira para alcançá-los no alto do guarda-roupa de duas portas do meu quarto). Era o livro mais grosso que eu já tinha visto, e resistiu bravamente às milhares de folheadas em busca de detalhes sobre regras e resultados de esportes que eu já conhecia da TV ou descobri ali – distribuídos em ordem alfabética, com o andebol, ainda sem o h que se usa hoje, no primeiro capítulo. Com a Enciclopédia do Estudante da estante da sala, ele formava o meu Google biquense. Um ano depois, quando já o tinha praticamente decorado, os Jogos Olímpicos foram transmitidos ao vivo para o Brasil pela primeira vez.

Naquela época, eu não sonhava carregar a tocha olímpica. Sonhava ser jogador de futebol, nos treinos do Seu Zé Vieira no Esporte, chutando a bola dente de leite sobre os paralelepípedos da rua até que a Sede abrisse ou esperando uniformizado que o jogo transmitido pela TV acabasse para que pudesse entrar no gramado do Maracanã (não consigo me lembrar de como essa espera terminava; se havia alguma frustração, a fantasia não deixou espaço para ela na minha memória). Depois, sonhava ser escritor, redigindo o jornalzinho mimeografado da minha sala no Grupo. E só sonhava, sem imaginar que um dia essas duas paixões se uniriam na profissão que abraçaria, a de jornalista esportivo. Muito menos que os nomes que lia no expediente do Almanaque eram os de futuros colegas: Antonio Maria Filho, em O Globo; Sergio Noronha, na TV Globo e no SporTV.

Antes mundo era pequeno porque terra era grande, como já dizia o poeta Gil.

No meu mundinho de criança, carregar a tocha olímpica não era sequer algo com que se pudesse sonhar. Os Jogos eram sempre muito longe: Montreal, quando eu ainda morava em Bicas; Moscou, quando já tinha me mudado para Juiz de Fora. Imaginar que a maior competição esportiva do planeta chegaria ao Brasil era como acreditar que se pode entrar no gramado do Maracanã pela tela da TV.

Hoje mundo é muito grande porque terra é pequena. Em 1996, cobri os Jogos pela primeira vez, como repórter de O Globo. Estava no estádio em Atlanta quando Muhammad Ali, o Cassius Clay da foto em preto e branco no capítulo de boxe do Almanaque, apareceu para acender a pira. Uma memória olímpica só superada em Copenhague, no dia 2 de outubro de 2009: ao vivo pelo SporTV, vi o presidente do COI tirar de um envelope um cartão com o nome do Rio de Janeiro, cidade-sede de 2016. Ali, o que antes nem sonho era virou projeto.

Eu tinha de carregar a tocha olímpica.

O pessoal da Prefeitura de Bicas não conhecia essa história toda quando me convidou para fazer esses mundos se encontrarem, no dia 16 de maio. E mesmo se conhecesse, não poderia mudar o trajeto definido pelo comitê organizador para que eu pudesse passar bem debaixo da janela do meu quarto de 1975, que ainda se abre para a Avenida Retto Júnior, com o meu sonho olímpico nas mãos. Não precisa. Durante os 250 metros mais simbólicos da minha carreira, vou estar de alguma maneira olhando por ela, vendo lá dentro o menino que folheia o Almanaque dos Esportes.

Marcelo Barreto é jornalista, apresentador dos programas Seleção SporTV e Troca de Passes. Cobriu três edições dos Jogos Olímpicos, uma dos Jogos Paralímpicos e outros eventos. Escreveu o Almanaque Olímpico SporTV, com Armando Freitas e Alexandre Massi. E ainda tem o Almanaque dos Esportes 1975, quase inteiro (com uns rabiscos, páginas amareladas e capa dura, porque a original não resistiu a tantas folheadas).

Centenário do Município

A CZA vai então dizer da programação total do centenário do jornal O Município.

Dia 29 de abril, às 19h, sessão solene da Câmara Municipal de Bicas, em homenagem ao evento…

Dia 30 de abril, às 18h, missa de ação de graças na Igreja Matriz São José…

A partir das 22h, baile com a Orquestra Além Paraíba nos salões do Esporte Clube Biquense.

Sucesso antecipado

No mês de dezembro os assinantes de O Município receberam um convite para o grande baile do centenário do jornal, a ser realizado dia 30 de abril, nos salões do Esporte Clube Biquense. Orquestra Além Paraíba… Martha´s Buffet e tal.

O anúncio do evento superou todas as expectativas, e todos os ingressos foram reservados, antes de janeiro acabar. Aberta está, inclusive, uma lista de espera para alguma eventual desistência.

Sinal que, ainda, muitos biquenses e agregados dão importância a um dos poucos patrimônios que realmente têm valor na cidade.

‘Coq’ em Bicas

Um marco na imprensa mineira, o jornal “O Município” comemorou 99 anos de publicação em Bicas. Para celebrar a data, o diretor José Maria Machado Veiga recebeu, informalmente,  amigos e colaboradores do jornal para um ‘coq’. Destaque na noite para a simpática presença de dona Conceição – matriarca da família Machado Veiga – do alto de seus 98 anos. Nas fotos de Andréa Ottoni algumas presenças.

José Maria Machado Veiga, o prefeito de Bicas, Geraldo Magela Longo dos Santos, a presidente da Câmara, Sônia Pereira Mattos e Moisés Guarnieri dos Santos

Amílcar Monteiro Rebouças, Zé Arnaldo Ferreira Jorge e Carlos Augusto Machado Veiga

Raphael Veiga, Amarildo Mayrink, Stella Mary Rodrigues e o ex-prefeito de Pequeri Raul Salles

Dona Conceição Machado Veiga ladeada pelos filhos Luiz Roberto, Ana Maria, José Maria e Carlos Augusto

Fonte: Tribuna de Minas – Coluna Cesar Romero – 01/05/2015

Novo Endereço
A loja Frade Sports está de endereço novo: rua Olegário Maciel n. 240, loja 04, JF.

Encontro informal

Mantendo uma tradição de 50 anos, alguns amigos e colaboradores estiveram na redação de O Município por ocasião do seu 97º. aniversário.

Na oportunidade, o pessoal relembrou do saudoso bel. José Maria Veiga e cumprimentou a família pela publicação do jornal e manutenção do acervo.

A Câmara Municipal de Bicas, por intermédio da presidente, Maria Elizabeth Gouvêa Silva, homenageou o aniversariante com uma placa dizendo… “Ao jornal O Município… Homenagem da Câmara Municipal de Bicas pelos 97 anos informando com lisura e transparência a história de nossa cidade… 29/04/2013”.

Amilcar Rebouças e José Maria Machado Veiga

Dona Conceição Machado Veiga e Renê Cozac

Ronaldo Granato Matta e Joaquim Simeão de Faria Neto (prefeito de Pequeri)

Suyan Cozac e Sandra Araújo

Cesar Romero, Arnaldo Guerra e José Renato Pereira

Amarildo Mayrink, Raul Salles, Frank Granado e Laci Pires

Carlos Augusto Machado Veiga e Lea Castro (vice-prefeita de Bicas)

Tonico Giraldelli Michelli, José Luiz Neves dos Reis (Lelé) e Newerton Pinho (Nevito)

96 anos

O Município completou 96 anos dia 29 de abril. Tá tudo muito bom… Tá tudo muito bem, mas o jornal precisa continuar “morando, comendo, bebendo e tal”. Sobrevivência.

E o dia a dia desse físico só poderá rumar ao centenário se houver um aumento no número de assinantes, pois é daí que sai o caldo.

A chamada é pra dizer da necessidade de o biquense, o vizinho e o simpatizante se sensibilizar e solicitar uma assinatura do jornal. É baratinho e dá moral pro Veiga continuar tocando a manivela. Ao agir assim, olha aí a prática dando exemplo de solidificação do desenvolvimento cultural da região.

Para assinar, basta solicitar o procedimento por intermédio do e-mail: jornalomunicípio@terra.com.br.

A festa
Quem vai falar da comemoração é o blogueiro Amarildo. Mayrink postou no seu espaço… Seguinte:

Na última sexta-feira, 27, participei da comemoração do aniversário do Jornal O Município, que completou 96 anos.

Como acontecem todos os anos no final de abril, a família Veiga recebe os amigos para confraternizar e comemorar esta importante data. Mais importante agora, quando o jornal se aproxima do centenário, já que faltam apenas quatro anos para o mais antigo veículo de comunicação de nossa cidade completar cem anos.

Na oportunidade, levei também ao Jornal um exemplar do Livro “DOUSSEAU ENTER. Franceses no Império do Café”, de autoria de minha irmã Marly Mayrink, presente de aniversário e um singelo agradecimento pela grande contribuição que “O Município” ofereceu na elaboração deste importante levantamento histórico, através dos arquivos que o Jornal mantém com grande zelo e organização.

Parabéns ao Jornal O Município e a toda a família Veiga! Estamos sempre juntos, acompanhando este belo trabalho.

Faltam só quatro!

Os irmãos Veiga, José Maria e Carlos Augusto, recebendo o exemplar do livro "DOUSSEAU ENTER: Franceses no Império do Café", de autoria de Marly Mayrink

Autor desconhecido
Médium: Divaldo Franco

Você é: instrumento nas mãos do Divino Mestre, para que as excelsas melodias da Boa Nova repitam irrepreensivelmente a harmoniosa mensagem da vida ao mundo atormentado. E você é somente aprendiz do Excelso Mestre. Honre o título de discípulo e não desfaleça. Proceda à execução segura, definida e clara das suas obras, para que em nome dEle, o Reino Divino se manifeste mais rapidamente onde você estiver, qual fosse “um Espírito superior que se reencarnou com o fim de fazer progredir a Humanidade”, revelando, pela palavra e pelo exemplo, a lei de Deus.

Coluna nº 292

Atualização quinzenal

95 ANOS
Né mole não, minha gente… No entanto, com muita labuta e sem fraquejar, o jornal O Município vai completar, com o luxuoso auxílio divino, 95 anos de existência, dia 29 de abril. No entanto, a comemoração será no sábado, 30 de abril, às 22h30, ao som da afinada Orquestra Além Paraíba e ao sabor das delícias do Martha’s Buffet.

A iniciativa de festejar o níver em Pequeri partiu do prefeito Raul Salles, apoiado pelo Toni Pimenta Alves, presidente do Clube Social Pequeriense, local do evento.
Na balada, serão homenageados a direção do jornal (José Maria Machado Veiga e d. Conceição Machado Veiga) e o jornalista responsável (Cesar Romero G. Correa, titular da festejada coluna “Cesar Romero”, do jornal juiz-forano Tribuna de Minas).

As reservas podem ser feitas pelos telefones (32) 3278-1368, (32) 8404-8568 (Toni), (32) 3278-1591 (Rita).

TUDO A VER
Pequeri e “O Municipio”: tudo a ver… Não só pelo fato de a cidade estar sempre em destaque nas páginas, mas, principalmente, por um elo histórico. Entretanto, isso é papo mais profundo, coisa para intelectual, coisa para o jornalista e escritor Julio C. Vanni…

Fala aí, professor Vanni!

“Uma lei municipal autorizou a Prefeitura de Pequeri a patrocinar, no corrente ano, os 95 anos de existência do jornal O Municipio. As comemorações acontecerão no dia 30 de abril. A importância desse jornal está no fato de conter nele, ao longo de quase um século, as principais notícias da Comarca e da vida política do município, lembrando que até 1953, Pequeri foi distrito de Bicas. Por conseguinte, boa parte da história de Pequeri está registrada no valioso jornal, que continua a servir à Comarca e aos municípios vizinhos dentro de um padrão de qualidade que o coloca na rol dos melhores jornais do interior de Minas Gerais.”

CHÁ
O Centro Espírita Francisco de Assis vai receber para chá fraterno, dia 22 de maio, às 17h, no Clube Biquense. A entrada vale oito reais e pode ser adquirida com os trabalhadores do lugar.

Você também pode colaborar com doações em dinheiro, em produtos ou ajudando com o seu trabalho… Existem muitos itens a serem cumpridos e muito trabalho a ser realizado… Cada um pode colaborar de acordo com a sua disponibilidade… Quanto mais pessoas se envolverem no movimento, melhor ele fica a cada ano… Quem não puder colaborar materialmente ou com trabalho, vibre positivamente para que tudo corra da melhor forma possível… Divulgue o evento!

O valor arrecadado vai ser utilizado nas várias atividades realizadas pela casa espírita, como aulas de evangelização, assistência social (cesta básica em média a 50 famílias), obra do berço (gestantes carentes), bazar, sopa fraterna, aulas de artesanato etc. Colabore com esse trabalhão de amor e caridade!

PALESTRAS
Falar assim é dizer que o Centro Espírita Francisco de Assis (rua Dona Ana nº 105, Bicas), aniversariando 84 anos, vai promover palestras comemorativas, em abril, sempre, às 20h.

Dia 4, Marcos Vinicius (de Santos Dumont)… Dia 11, Nil (de Bicas)… Dia 18, Regina Mendes (de Juiz de Fora)… Dia 25, Fernando Emílio (de Juiz de Fora).

FLAT PRATA
A república feminina Flat Residencial Prata, inaugurada a pouco, oferece, para conforto e bem-estar, uma completa estrutura moderna bem no centrão de JF, na rua Halfeld nº 265.

Detalhe: homem lá não passa da portaria e os serviços são prestados por mulheres.

Acompanhe alguns lances que são disponibilizados para o mulherio… Água, luz, condomínio, IPTU e gás… Quartos para 2 ou 3 mulheres… Camas, beliches e guarda-roupas individualizados… Computadores conectados à internet de alta velocidade… Sala de TV (com SKY, DVD e TV de 32″)… Cozinha (fogões, geladeiras, freezeres, micro-ondas, liquidificadores etc.)… Lavanderia completa (máquinas de lavar, ferros, tanques e amplo varal)… Funcionárias responsáveis pela limpeza geral… Segurança 24horas (Sistema de monitoramento por câmeras das áreas de acesso e comum)… Porteiro 24 horas… Próximo ao restaurante popular… Ao lado do flat, novas instalações do Comando da Polícia Militar.
Mais informações: (32) 3237-9543 ou http://www.flatresidencialprata.com.br.

Ficaram noivos, em Belo Horizonte, Fernando Santos Salles (filho de Patrícia Dias dos Santos Salles e Fernando Moreira Salles) e Laura Rocha França Machado Veiga (filha de Letícia Rocha França Machado Veiga e Bertoldo Machado Veiga).

Bodas de Ouro - Na intimidade da família, com os filhos, netos, genro e nora, Lucy Barreto da Silva Soares e Adalberto Motta Soares completaram 50 anos de casados


ANIVERSÁRIO

Dayse Retto Grünewald comemorou 80 anos, dia 6 de março, em Bicas, na residência de sua irmã Myrian Grünewald Cúrzio. O almoço (churrasco), restrito aos familiares, foi organizado pelo sobrinho Dalton Curzio Filho (Daltinho).

Na imagem, as irmãs Myrian, Dayse e Lillian

 

Pela Faculdade Machado Sobrinho/JF, Mário Perón de Oliveira (filho de Judith M. Perón de Oliveira e Gilmar Gomes de Oliveira) formou-se em Ciências Contábeis.

Pelo Centro de Ensino Superior/JF, Laísa Galil Guilhermino (filha de Cláudia Galil Guilhermino e João Batista Guilhermino) formou-se em Arquitetura e Urbanismo.


MAIS MEDALHA

O mesatenista Alexandre Ank, representante da AABB/JF na Copa Brasil Sul-Sudeste de Tênis de Mesa Adaptado, recebeu homenagem, em 25 de março, na sede da associação.

Ank voltou do trampo, jogado no Rio de Janeiro, com duas medalhas de ouro (classe 4 individual e ranking paraolímpico).

CD
João Paulo Lanini Mariano está com um projeto para gravar CD com músicas da doutrina espírita, resgatando as obras de João Cabete (http://www.mofra.org.br/Biografias/cabete/). Tudo que for arrecadado será distribuído às obras assistenciais de várias casas espíritas.

O lance amadurece, há um ano, com a elaboração dos arranjos. Pra ficar mais chique, as músicas vão ser gravadas em versões instrumentais em uma linha única de violão com cordas de nylon.

Fala aí, João!

“Graças a Deus, as notícias que recebemos da ‘galera lá de cima’ é que tudo realmente precisa acontecer e que o apoio vem sendo dado, o que aumenta ainda mais nossa expectativa e responsabilidade em veicular a mensagem de Jesus.”

Muitas pessoas de peso apóiam o movimento nobre e elevado do JP, tipo a família do compositor homenageado e o músico Emmerson Nogueira, que está produzindo o CD e disponibilizou seu estúdio a bom preço. Sublinhar, ainda, a elaboração visual gratuita realizada pelo “Studio Arbex”.

No entanto, pra continuar caminhando, o idealizador precisa captar recursos, e, para tanto, vai promover apresentação espírita desenvolvida por Denis Soares, parceiro da dupla Tim e Vanessa, entre outros. Envolventes músicas tocadas nas casas espíritas são de autoria do Soares e do Cabete.

Dados do evento… Viajante do Universo Denis Soares entre Amigos… Sábado, 9 de abril, às 20h30… Anfiteatro do SESC (Av. Barão do Rio Branco nº 3.090, JF)… Ingressos: Livraria Espírita Cristã (Galeria Constança Valadares nº 16/18, JF, (32) 3215-0094, dez reais (antecipados), dezesseis reais (no dia)… http://www.viajantedouniverso.org.br.

EI-LO
Acesse http://www.youtube.com/watch?v=x7DUVFRzJNo e curta os harmoniosos dedilhos de João Paulo apresentados na 1ª Mostra de Músicas Espíritas de Leopoldina. A música é “Fim dos Tempos”, de João Cabete.

HERDEIRO
Heloisa Vaz de Mello, Lígia e Wagner Barreto festejando o nascimento da neta Júlia, filha de Paloma e Wagner Barreto Neto.
Fonte: jornal Tribuna de Minas – Coluna Cesar Romero – 24/03/2011

CANA
As fotos do Bloco da Cana chegaram até a CZA um pouco depois e não deu para introduzi-las (“de acordo”) na coluna anterior. Só que, o “furacão da salaiada” não pode ficar de fora da cobertura do Carnaval biquense 2011 e recebe aqui tratamento particular. Siga… com o Foto Adelson…

O Caveirão se preparando na concentração

No carro alegórico principal, Honório de Oliveira (camisa branca), Wolney Sarto (camisa amarela), Marquinhos Abrantes (vestido preto), Moacyrzinho (vestido roxo) e Fernando do Joca (vestido estampado)

O trio Dance House embalando a multidão


CACOS DE HISTÓRIA E MEMÓRIA DE BICAS – 55

José Apolinário da Silva, José Arezzo, José Batista Vieira e José Bertelli
José Luiz Machado Rodrigues (Luja Machado)

Rua JOSÉ APOLINÁRIO DA SILVA – Este foi o nome escolhido pela Lei nº 1336, de 01.06.2007, para a rua “J”, que liga a Avenida do Contorno à Rua José Baptista Vieira, no Bairro Edgar Antonio Moreira. Sobre José Apolinário nada se conseguiu apurar além do contido no art. 2º da citada lei que informa ser o nome escolhido para o logradouro “uma justa homenagem ao cidadão pelos relevantes serviços prestados ao município”.

A segunda rua de hoje é a que recebeu o nome de VEREADOR JOSÉ AREZZO. Ela aparece na “Denominação a Logradouro Público – 1949/2005, da Câmara Municipal” como tendo sido oficializada pela Lei nº 198, de 03.11.59. Ocorre que, nos mapas consultados, não se localizou esta via. Tudo indica que o poder legislativo, como em inúmeros outros casos, prestou a homenagem e deixou por conta do executivo a indicação do logradouro a ser nominado, o que efetivamente não ocorreu. Quanto à pessoa de José Arezzo, sabe-se que era ferroviário por profissão e um dos mais apaixonados desportistas de Bicas. Atuou e dirigiu diversas equipes. Como político, elegeu-se para o cargo de vereador, em 1947. Quanto à família Arezzo é sabido tratar-se de mais uma das muitas de origem italiana que habitam a cidade. Para Ciro Mioranza, em seu Dicionário de Sobrenomes Italianos, o sobrenome Arezzo é oriundo da cidade toscana de Arezzo, cuja origem histórica e lingüística é anterior ao latim. Remonta a uma raiz “arra” que não é etrusca, que ele supõe ser indo-européia e de difícil interpretação.

Com o advento da Lei nº 1323, 05.03.2007, a rua “M”, do Bairro Edgar Antonio Moreira, passou a chamar-se Rua JOSÉ BAPTISTA VIEIRA. Segundo o diploma legal esta via tem início na Rua Prefeito Oliveira Souza e término na Rua Fritz Granado. Como curiosidade registra-se que a Lei nº 1326, de 03.04.2007, também, trata da mesma homenagem. José Baptista Vieira nasceu a 11.02.1917, em Bicas. Filho de Posidônio Baptista Vieira e Maria de Jesus Vieira. Casou-se com Flor de Lis Motta Vieira, com quem teve os filhos José Alberto e Paulo César Motta Vieira. Residia na Rua Morvam Dias de Figueiredo (Rua da Caixa). Era ferroviário por profissão e um apaixonado pelo Esporte Clube Biquense, onde atuou como jogador, treinador e destacado colaborador. Era irmão do ex-prefeito Nilson Baptista Vieira, também, homenageado em logradouro da cidade.

E o Cacos de História e Memória de hoje termina com a Rua JOSÉ BETELLI, via que liga a Avenida Governador Valadares à Rua “E”, no Bairro Santa Terezinha. José Bertelli nasceu a 06.08.1914, em Bicas, filho de Cristiano de Bortolo Bertelli e Maria Virgínia Bertelli. Casou-se, em 03.09.38, com Ercília Rocha Bertelli (n. 10.12.1920), filha de Horácio Rocha e Olympia Grassano Rocha. José e Ercília não deixaram descendentes. Faleceu em 1976. Trabalhou como funcionário da Rede Ferroviária na função de maquinista.

Arquivos
Categorias