Posts com a TAG ‘danilo’

Danilo é o motivo

Carreata

Em retribuição às várias demonstrações de afeto à terra natal, logo mais, às 18h30, sairá do Portal da Cidade uma carreata em homenagem ao futebolista Danilo.

Vá de carro, moto, bicicleta e tal.

O biquense Danilo exibindo a bandeira do município na comemoração da Champions League 2016

Formas e Cores

Herdeiro

Cristine e Luizinho Sales, Maria José e José Luiz Ezequiel da Silva estão radiantes com o nascimento do neto Miguel, anteontem, na Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora.

O “baby” é filho de Clarice e Danilo da Silva (ele, biquense que faz sucesso no futebol como lateral da Seleção e recém-contratado pelo Real Madrid em transação milionária).

Fonte: Tribuna de Minas – Coluna Cesar Romero – Dia 10/04/2015

Deguste

Astrid Paradela Varanda lançou, em Bicas, a marca Deguste – Pães Artesanais 100% Integrais. Por intermédio dos números de telefone, 3271-2481, 3271-2020, 9198-5161 ou 8477-9008, interessados recebem os produtos em domicílio.

Carteirando

Ana Carolina Varanda Campos (filha da Aninha Varanda e do Danilo Campos) formou-se em direito e já faz ‘movimentos pendulares’ com a carteira da OAB tirada na subseção de JF.

Na sede da entidade, o pai, igualmente advogado, entregou o documento à  filha.

Danilo, Ana Carolina e Cláudia Viera Campos (vice-presidente da OAB/JF)

Renda

Oitocentas pessoas atenderam ao chamado do Danilo e compareceram ao Estádio João Varanda (Esporte Clube Biquense), mesmo com chuva. A hora era pra uma partida beneficente de futebol.

Como o craque do Porto e da Seleção havia prometido que doaria dez reais por comparecente… A promessa restou cumprida.

Oito mil reais foram divididos entre as seguintes entidades biquenses: Morada do Caminho (dois mil e quinhentos reais), Projeto Musical Infantil Entoar (dois mil reais) e Lar Cristão Paulo de Tarso (mil reais).

O Sítio Shalon, em Pequeri, levou dois mil e quinhentos reais.

Jogador do ano

O biquense Danilo, lateral-direito do Brasil, recebeu, ontem, em cerimônia, importante prêmio do Futebol Clube do Porto. Considerado o jogador do ano, ganhou o tradicional troféu Dragões de Ouro.

Fala aí, Danilo!

“Estou muito feliz pelo prêmio. É um reconhecimento do meu trabalho e dedicação pelos três anos que estou no Porto. Além disso, entro para a história ao lado de grandes jogadores como Hulk e Falcão García, que também já ganharam esse prêmio.”

Fala aí, também, Pinto da Costa, presidente do Porto!

“O resultado foi mais do que justo. Recentemente disse ao Danilo, brincando, no fim de um jogo, pois é assim que se dizem as verdades, que ele merecia dois Dragões de Ouro, e não um.”

Na cerimônia de entrega do prêmio, Danilo e sua esposa, Clarice Sales

Encontro

Os biquenses radicados em Portugal, Lucia Luz (jornalista da Rádio Atlântico FM) e Danilo (jogador do Porto), em encontro informal na cidade de Olhão

Casamento

Os noivos Ariane Mineiro e Ney Ank, ladeados pelos avós dela, Glória e José Mineiro, e os pais dele, Elizabeth e Ney Rocha Ank, na festa do casamento no Bella Vista Resort, em JF – Fonte: jornal Tribuna de Minas – Coluna Cesar Romero – 04/05/2014

Arraiá em Bicas

“O Danilo até louvor de igreja canta”

A jovem dá a conhecer o outro lado do defesa brasileiro do FC Porto

Clarice Sales é uma jovem de 20 anos, natural de Bicas, Minas Gerais, que deixou a família, os amigos, o trabalho e o curso no Brasil para acompanhar o namorado Danilo, lateral-direito do FC Porto, na mudança para Portugal. Mas, depois de se terem conhecido num cemitério, há cerca de oito anos, nunca mais se largaram e ao fim de meia dúzia de anos resolveram assumir o namoro e investir numa relação séria com planos futuros. A viver há pouco mais de seis meses no Porto, Clarice ainda está em fase de adaptação, tanto em termos culturais, como de vida em comum com o defesa dos dragões, segundo a própria, extremamente vaidoso, tranquilo e com uma queda para o pagode. “Ele acha que é cantor”, comenta a simpática brasileira, entre risos…

Clarice Sales

Quais são as primeiras impressões do Porto?

Durante os primeiros meses vivia entre o Porto e o Brasil e só agora, em janeiro, vim para ficar definitivamente. Ainda estou numa fase de adaptação e devo confessar que no início não gostava, mas acho que era sobretudo por sentir muitas saudades de casa. Estou a aprender a gostar do Porto. O Danilo passa muito tempo no clube, eu fico muito sozinha e, como sou bastante apegada à família, estranhei um pouco e passei por algumas dificuldades. Além disso, no Brasil tinha o meu emprego, a faculdade, amigos e deixei tudo para ficar ao lado de quem gosto.

O que está apreciar mais em Portugal?

Ah… é tudo muito diferente. Eu morava em Bicas, uma cidade com mais ou menos 18 mil habitantes, e aqui é outro Mundo. Ainda não tive oportunidade de conhecer muita coisa, mas já fui à Madeira e fiquei completamente apaixonada por aquela ilha. Foi dos sítios mais bonitos que já conheci até hoje. Na Madeira tudo é perfeito! No Porto, conheço apenas o centro da cidade e pouco mais, não houve ainda tempo para mais. Não sou apreciadora da comida, por exemplo, ao contrário do Danilo que gosta bastante, e isso também dificulta um pouco. Morro de frio e passo a vida a sonhar com o calor do Brasil. Nunca passei tanto frio na minha vida… (risos)

Que fazia em Bicas? Disse que trabalhava e estudava…

Trabalhava num banco. Comecei como escriturária, mas já fazia um pouco de tudo, pois era uma agência pequena e éramos poucos funcionários. Na faculdade, fiz um ano de administração de empresas e tranquei a matrícula porque tinha começado a trabalhar e havia a possibilidade de vir para Portugal. Entretanto, já tratei de tudo para retomar os estudos e vou continuar a fazer o curso desde o Porto. Aliás, começo as aulas ainda este mês. A minha ideia é concluir a minha formação académica.

E, nesse contexto, como conhece o Danilo?

Eu nasci em Juiz de Fora, a 40 km de Bicas, onde vive grande parte da minha família e onde passava parte das minhas férias e fins de semana. Entre os meus 10/11 anos, os meus pais abriram um supermercado em Bicas e acabámos por nos mudar para a cidade. Nessa altura, a senhora que ajudava a minha avó, e era vizinha da mãe do Danilo, perdeu o neto e eu conheci o Danilo no cemitério, durante o enterro. Conversámos e descobrimos que frequentávamos a mesma escola. Apesar de ele ser mais velho e andar dois anos à minha frente, tornámo-nos amigos, descobrimos vários amigos em comum e, durante vários anos, tivemos uma espécie de amizade colorida. Só em 2010 assumimos uma relação mais séria, depois do primeiro beijo no Carnaval. Em julho, começámos a namorar mas à distância, porque coincidiu com a saída do Danilo do América para o Santos. Ainda assim, e apesar de eu estudar e trabalhar, ao fim de semana visitava-o e passávamos algum tempo juntos. Quando o Danilo veio para Portugal, tudo ficou mais complicado. Só havia duas hipóteses, ou vinha com ele ou acabávamos. Optámos por continuar juntos.

Em Portugal, uma amizade colorida inclui beijos mas, pelos vistos, a vossa relação era diferente. Não percebi, quer explicar?

Nós tínhamos aquele ‘negócio’ de gostar um do outro, mas nenhum tinha coragem de assumir. Daí a amizade colorida. Durante um jogo do Campeonato do Mundo demos um beijo e, ao longo de uma semana, fomos ‘namoradinhos’, até que ele foi para o Santos. Conversávamos todos os dias, mas não tínhamos nada. Um dia, pela internet, ele perguntou-me se eu queria namorar e eu respondi que sim. E assim começou o nosso namoro, pela internet. E tem dado certo, com algumas discussões como todos os casais, mas estamos bem e juntos.

Conheceram-se num cemitério, começaram a namorar pela internet e, a julgar pelo anel no dedo, pretendem subir ao altar. Estão noivos, é isso?

É verdade! Quando, há um ano, o Danilo veio para o FC Porto éramos apenas namorados mas a nossa ideia era ficar juntos. Como não tínhamos nada muito sério, resolvemos oficializar a relação para criar maior estabilidade e também ganharmos alguma maturidade e segurança até decidir casar. Assim, quando ele foi no último verão ao Brasil ficámos noivos e, em agosto, viemos juntos para Portugal. Foi uma espécie de acordo entre nós, com os meus pais, e com direito a anel, também para poder sair de casa e vivermos juntos noutro país.

Nesse caso, quando é que o Danilo dá o nó? Já há data prevista?

Não. Ainda não está nada programado. Acredito que, quando estivermos preparados, tanto eu como ele, sentiremos que está na hora de dar esse passo. Para já, ainda somos muito jovens.

Conte-nos então como é partilhar casa e viver com o Danilo?

Na verdade não vivemos sós. Partilhamos casa com dois amigos e o irmão do Danilo. Mas para já está a correr bem. Nunca tinha vivido com ninguém e, para mim, é diferente daquilo a que estava habituada, mas entendemo-nos todos bem. A nossa relação é bastante tranquila, não temos grandes problemas e esta fase está a servir igualmente para nos conhecermos melhor. Devo dizer também que o Danilo é uma pessoa maravilhosa! Nunca conheci ninguém com tamanha bondade e que está sempre a pensar nos outros e em ajudar. O Danilo saiu do Brasil, cresceu mas não esquece as raízes, os amigos que lá ficaram e os pais por quem tem um respeito impressionante. Quando ele gosta de alguém, gosta mesmo e dá tudo.

E como é ele entre portas, no recato do lar?

O Danilo é muito extrovertido e, entre amigos, se solta mesmo. Quando está de folga ou de férias, não pode faltar o pagode. Ele adora fazer um churrasco, convidar os amigos e a família para casa, chamar um grupo de pagode e fazer a festa. Ele vai para o microfone e acha que é cantor, mas pior é que canta bem e fica todo convencido. Ele é bem eclético em termos musicais mas a preferência vai para o samba e pagode, apesar de o Danilo até louvor de igreja cantar (risos).

Ele também organiza esse tipo de convívios cá, ou só quando está de férias no Brasil?

No Porto também mas menos vezes e com um número mais reduzido de pessoas. Quando fazemos um churrasco normalmente é com os outros jogadores brasileiros do FC Porto ou só entre nós lá em casa. Como são vários os compromissos com o clube, quando ele está em casa gosta de passar algum tempo com os nossos dois cães, Lucy e Mel, a cuidar dele próprio e jogar ‘PlayStation’. Ele adora um jogo de tiros. E, como lá em casa já são quatro ‘meninos’, e os outros jogadores do FC Porto, o Alex, o Fernando, o Kléber e outros, também gostam, eles jogam online e é um vício! Se ele joga bem? O Danilo joga mais ou menos… ele vai me matar de estar a contar isto, mas se há dias em que ele mata um monte, há outros dias em ele não faz nada (risos)

E nas lides domésticas não colabora?

Por iniciativa própria, ele não faz nada mas, se for preciso, ajuda, põe a mesa, faz a cama e esse tipo de coisas. Na cozinha o máximo que ele sabe fazer é fritar um ovo… (risos) Na verdade, somos os dois um pouco ‘bagunceiros’ [desarrumados], mas como o Danilo é bastante vaidoso implica um pouco com as coisas fora do lugar.

Quão vaidoso?

Ele cuida-se bastante, muito mais que eu. Até fico impressionada. Preocupa-se em ter o cabelo sempre arranjado, a barba feita, depilação feita, colocar creme, perfume e uma série infindável de coisas. Só para o cabelo ele tem uns dez cremes, mais outros tantos para o corpo e vários perfumes. Ele gasta muito dinheiro com essas coisas, assim como com roupa e acessórios. Há dias em que ele é rápido para se arranjar, mas há outros que fica na dúvida que nem mulher.

E amigos, já fez muitos em Portugal?

São mais os jogadores brasileiros do FC Porto. Ainda assim, acho que o Danilo está mais próximo do Alex [Sandro], pois já são amigos desde os tempos do Santos e partilhavam o quarto nos estágios da Seleção. No meu caso, dou-me também muito bem com a Natália, a mulher do Alex, e com a Bruna, mulher do Fernando, também muito próximo do Danilo, tal como era o Kléber que, entretanto, voltou para o Brasil. A maioria das vezes jantamos todos juntos mas, em outras ocasiões, ‘rola’ outro tipo de programas. Já fomos, por exemplo, a Vigo e, às vezes, vamos todos almoçar a uma churrascaria. Há umas semanas o Hulk estava de passagem pelo Porto e almoçamos todos em casa do Fernando. Já no Réveillon eles [Fabiano, Maicon, Fernando, Kléber e Alex, com as respetivas famílias] juntaram-se em nossa casa. Mas, a bem da verdade, o Danilo dá-se bem com os todos os colegas, sejam eles portugueses, argentinos ou colombianos, apenas sente mais afinidade com o brasileiros… acho que por questões culturais.

Em termos profissionais, o Danilo está a dar-se bem e a apreciar o campeonato português e a Liga dos Campeões?

Está, o Danilo está a gostar bastante. Ele passou por uma fase complicada, com a lesão, mas isso já está superado. O Danilo está confiante, sente-se bem e adora o FC Porto. Eu acho que o clube, e falo por mim, prima pela diferença. Ele tem um apoio no clube, em termos de família, difícil de encontrar em outros clubes e, para nós, estrangeiros, dá uma segurança bastante grande e confortável. Sentimo-nos muito bem, à vontade e felizes porque eles, nesse sentido, fazem tudo para nos agradar.

Sente que vão festejar o campeonato a norte?

Claro! (risos) Estamos a torcer e eles a trabalhar para isso. Não há festa prevista, nem nada programado mas, se o FC Porto for campeão, vai haver pagode e o Danilo vai cantar!

Por onde passam os objetivos do Danilo?

Por evoluir, tornar-se no melhor jogador possível, fazer um bom trabalho na seleção brasileira e alcançar um bom resultado na Liga dos Campeões. Em termos pessoais, o Danilo quer muito ter filhos, ele adora crianças. Mas ele só tem 21 anos, é jovem e ainda tem muitas coisas pela frente e muito pelo que lutar.

A Clarice gosta de futebol?

Gosto, embora não entenda muito. Em criança torcia pelo Flamengo e o meu ídolo, curiosamente, era o Liedson, que agora está no FC Porto a jogar com o Danilo. Mas passei a gostar mais de futebol quando comecei a namorar o Danilo. Até troquei de camisola e de ídolo naturalmente (risos). Agora o meu ídolo é o Danilo! Ainda assim, o meu clube do coração continua a ser o Flamengo, apesar de torcer pelo FC Porto e ir a todos os jogos no Dragão. Aliás, no último jogo em casa, dei a minha vida naquelas bancadas, cantei, gritei e fiquei puxando pela equipa o tempo todo. Às vezes até consigo me comportar de forma discreta mas, quando o jogo pega fogo, não consigo ficar quieta.

Fonte: http://www.ojogo.pt

Peleja internacional

Danilo

Hoje, às 19h30, está pra lá de confirmado o jogão internacional que rolará na EE Deputado Oliveira Souza, em Bicas, com a presença de vários profissionais da bola, entre eles, Danilo (Porto), Leandro Ferreira (América MG), Willian (Botafogo), Thomás (Flamengo), Pablo (Figueirense) e tal.

Carinha a fim de ver as feras a um palmo do nariz é só tirar da prateleira 1 kg de arroz (tipo l), de óleo de soja ou de macarrão.

Nascimento

Nasceu Manuela, filha de Tatiana Ferrari e Adriano Ferreira, dia 04 de dezembro, em JF. A gatinha é a primeira neta de Maria Eudóxia e Walter Ferrari… Aparecida e Raci Ferreira.

Na Globo

Ricardo

Ricardo Campos, locutor da Rádio Nossa FM, de Bicas, persistente pra caramba, furou fila e conseguiu estágio no Departamento de Esportes e no Departamento de Desenvolvimento de Marketing da Rádio Globo Rio.

Vai pro ar, a partir da segunda quinzena de janeiro, aos domingos.

Ricardão ficou impressionado com a simplicidade e a atenção da equipe, principalmente de Zeca Marques, Luiz Penido e Gilmar Ferreira.

Para o mundo

Danilo, o biquense mais conhecido do planeta terra, está de férias por aqui, curtiu JF, e concedeu entrevista. Siga…

Em Bicas, Danilo e a locutora Aline Mota

Lateral da Seleção Danilo visita Juiz de Fora
Natural de Bicas, lateral-direito faz visita a projeto da Amac e aos estúdios da Rádio Solar

Por Renato Sales

De Bicas para o mundo, o lateral-direito Danilo, ex-Santos e América-MG, espera se firmar com a camisa da Seleção Brasileira e tem planos ambiciosos para as próximas temporadas: conquistar o ouro olímpico nos Jogos de Londres, em agosto, e sagrar-se campeão mundial vestindo a amarelinha na Copa de 2014 . De férias do futebol de Portugal, onde defende o Porto desde o início do ano, o jogador esteve nesta quinta-feira (21) em Juiz de Fora para visitar os estúdios da Rádio Solar e o projeto Casa do Pequeno Artista, da Associação Municipal de Apoio Comunitário (Amac), que atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social.

“Sem dúvida estar nas Olimpíadas e na Copa são meus principais objetivos. Estive nestes últimos amistosos da Seleção e em toda a preparação para as Olimpíadas. Minha meta não poderia ser outra senão estar presente e poder ajudar o Brasil. Temos que incluir também nesse cronograma a Copa das Confederações, no ano que vem, que será um passo importante nesse total.”

O jogador lembrou sua passagem pelo Tupynambás, em 2005, e falou do carinho que sente pela região. “Foi onde eu comecei e dei os meus primeiros passos como jogador de futebol. Por isso, sempre guardo essas lembranças com muito carinho. Sempre que posso e tenho uma brechinha venho para cá para descansar e esfriar a cabeça. Enfim, é uma região que tem muito menino de futuro. Temos que observar, mas temos muitos ‘danilos’ por aí.”

Aos 20 anos, Danilo demonstra um bom senso de profissionalismo e já fala em encurtar suas férias para reforçar seu condicionamento físico. “Gosto muito de ficar em Bicas, mas, daqui a pouco, já vou voltar a treinar. Vou para o América-MG cuidar da minha forma física. Tenho as Olimpíadas pela frente e preciso representar bem o país. A adaptação ao futebol europeu está sendo muito boa. Porém, tive uma lesão grave no início do trabalho, e esses treinamentos aqui no Brasil podem ser importantes. O principal é que já consegui voltar a jogar e tenho tudo para fazer uma temporada muito boa no Porto.”

Danilo visitou projeto nesta quinta (21)

Fonte: Tribuna de Minas – 21/06/2012

Arquivos
Categorias