HOSPITAL SÃO JOSÉ DE BICAS

Entrevista
A administradora do Hospital, Therezinha Maria Lanini de Almeida, concedeu uma entrevista exclusiva ao Jornal ComunicAção (Outubro/Novembro de 2014) e pontuou questões importantes:

Qual é a real situação do nosso hospital? E por quê?
Como todos os hospitais filantrópicos do Brasil, que presta serviços ao SUS, o nosso não é diferente. Estamos passando por uma crise financeira bem complicada. Hoje nós temos uma receita média mensal em torno de R$ 124.000,00 (Incluindo aí SUS, planos de saúde, prefeituras, plano do hospital, etc.) e as despesas mensais em torno de R$ 166.000,00, portanto um déficit de R$ 42.000,00 que vem se acumulando mês a mês e hoje já está na casa de R$ 450.000,00.

Por que as prefeituras passam recursos para o hospital?
É atribuição de todo município ter um atendimento de urgência e emergência, dessa forma os municípios que não possuem pronto-socorro próprio, fazem convênios com hospitais mais próximos, como é o caso de Bicas e Guarará. Então, o hospital presta estes serviços a essas prefeituras. A Lei 4320/64 dá legalidade ao repasse da subvenção social para custeio dos serviços, aos gestores municipais.

O que é entendido por atendimento de Urgência e Emergência?
Urgência é aquele atendimento que é feito ao paciente quando há uma situação que não pode ser adiada, que deve ser resolvida rapidamente, pois se houver demora, corre-se o risco até mesmo de morte, e emergência é quando há uma situação crítica, com ocorrência de perigo ou morte. Os outros atendimentos são considerados consultas eletivas, que são consultas simples e de rotina.

Qual o custo aproximado deste serviço?
Hoje nós gastamos apenas com o pronto-socorro, em média, R$ 115.000,00 por mês, sendo R$ 62.000,00 com o pagamento dos plantões médicos e o restante com serviços de enfermagem, técnicos, medicação e até com a limpeza. Lembrando que temos ainda os médicos que atendem as internações e o diretor clínico, que ficam em R$ 7.700,00; portanto os valores totais com profissionais médicos perfazem a quantia de R$ 69.700,00 ao mês.

Os recursos que as prefeituras passam são suficientes para as necessidades do hospital, como pagamento de médicos, por exemplo?
Não. Ajudam bastante, mas ainda não cobrem todos os gastos. Os serviços pagos por Bicas são R$ 62.000,00, Guarará R$ 7.700,00 e Maripá de Minas R$ 1.200,00. Esses recursos pagam os médicos sim, mas temos que ter em mente que um hospital não vive apenas de médicos, como disse anteriormente, temos gastos com medicação, material de ambulatório, gráfica, material de limpeza, funcionários, como enfermeiros, técnicos, auxiliares, recepcionista, cozinheiras, dentre outros.

O hospital também presta serviço ao SUS. O SUS paga por este serviço?
O SUS paga sim, mas a tabela de pagamentos não é atualizada há 20 anos, os valores são muito baixos. Você sabia que o SUS paga R$ 0,62 por medicação aplicada, independente da medicação e do seu preço? Isso sem contar, agulha, seringa, algodão, álcool ou qualquer material usado e ainda temos um limite de 220 medicações por mês. O que fazemos além disso não é pago e não podemos recusar nenhum atendimento.

Qual o total de atendimentos do hospital por mês para cada Município?
Atendemos hoje, em média 2.200 pacientes por mês no pronto atendimento ambulatorial. Sendo 85% de Bicas, 12% de Guarará, e o restante de outros municípios.

Quais são os outros recursos que o hospital recebe para além daqueles provenientes do SUS e das prefeituras?
Além destes citados, temos os de planos de saúde, que são variáveis e relativamente poucos, alguns particulares (sendo que esse tem meses que não temos) e o plano do hospital, o COSPITAL, que arrecada em torno de R$ 17.000,00. Tínhamos também o recurso do Pro-urge, que foi cortado em 31 de dezembro de 2013, único recurso estadual que recebíamos, quando se instalou a rede CISDESTE /SAMU, de Urgência e Emergência e o hospital de Bicas não entrou nesta rede, em nenhum nível hierárquico. No entanto, continuamos com os atendimentos, incluindo os do SAMU. Ficamos com o ônus, mas não com o bônus, pois os recursos financeiros foram retirados e agora fazemos sem receber nada em troca. É importante salientarmos que este recurso nos foi tirado, não por incompetência da gestão do hospital. O valor mensal desse recurso era de R$ 37.500,00.

O que é o COSPITAL e qual sua importância?
O recurso do COSPITAL nos ajuda e muito! A mobilização da população é extremamente importante, estamos fazendo eventos para arrecadarmos fundos e garantirmos o funcionamento do hospital. Não podemos ficar dependentes apenas dos recursos públicos. O hospital sempre esteve a postos para ajudar a população; agora é a vez da população ajudar a manter nosso maior patrimônio: o Hospital São José.

Como deve agir alguém interessado em fazer este plano?
O plano pode ser adquirido no próprio hospital, com uma mensalidade de R$ 36,00 para o titular e de R$ 15,00 a R$ 25,00 por dependente. Em troca damos os benefícios de um quarto particular com acompanhante e ainda alimentação deste. Temos também planos de contribuição que podem ser de qualquer valor, sempre pagos com carnê nos bancos e lotéricas.

Therezinha finaliza dizendo que gostaria de conclamar a população de Bicas e região para que ajudem a reerguer o nosso hospital, pois segundo a administradora, não é justo que percamos uma Instituição que há 73 anos faz um trabalho tão relevante pela população de Bicas e região.

O lance
O lance é o seguinte… Formou-se uma comissão em Bicas para angariar fundos para o hospital e nós, paralelamente, estamos tentando botar na onda o pessoal de fora da cidade… Essa comissão, inclusive, é responsável por fiscalizar a movimentação do numerário arrecadado… A administradora do hospital, Therezinha Lanini mostra, desde já, “in loco”, a prestação de contas, principalmente com relação às doações… Os documentos também estarão disponíveis no site da instituição (http://hsjbicas.wix.com/hospitaldebicas)… A comissão é formada por várias pessoas, entre elas: Carlos da Casson, Aida Lanini, Marco Mattos, Felippe Telson, Rita do Salim, Magela Granado, Verônica Bordonal, Sônia Brito, José Maria Maciel Pires, Therezinha Lanini, Cristiane Lanini, Grazielle Vicini Bastos etc…

Mais informações e notícias são dadas diariamente nas rádios…
Nossa FM, www.portalnossafm.com.br, no programa Boca no Trombone, todas as terças e quintas, a partir das 11h…

Alternativa FM, www.alternativafmbicas.com.br, programa Alta Voltagem, das 08h às 11h, e no Informe Alternativa, das 11h às 11h30…

Passeata
No sábado, dia 18 de outubro de 2014, aconteceu uma passeata nas principais ruas da cidade para sacudir a população no sentido de se mobilizar em prol do hospital.

Imagens da passeata
Fotos: Felippe Telson e Diego Amaral

Ajuda
Ajude depositando mensalmente qualquer quantia nos estabelecimentos…
Caixa Econômica Federal – Agência 1488 – Operação 013 – Conta-Poupança 3239-4…
Banco do Brasil – Agência 0174-0 – Conta-Corrente 3256-5.
De preferência, faça depósito identificado.

Prestação de Contas


Arquivos
Categorias