Arquivo abril, 2016

Dicas pro concurso

Moção

A Câmara Municipal de Bicas concedeu “Moção de Aplausos” pelos 100 anos de existência do jornal O Município.

A honraria foi proposta pelo vereador Rafael Cândido Aquino e concedida pela Mesa Diretora e demais vereadores, em reconhecimento ao brilhante trabalho desenvolvido nesses 100 anos do jornal, que noticiou momentos históricos de Bicas e região.

Sucesso na liquidação

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico da Prefeitura e a ACE (Associação Comercial e Empresarial de Bicas) vibraram com mais um êxito do Bicas Liquida, quarta edição, no Parque dos Ferroviários.

Vinte e oito expositores da cidade: roupas, calçados, acessórios, lingerie, clínica médica e curso de inglês… Praça de alimentação: salgados, sanduíches, porções, pizza, comida japonesa, churros, pipoca, cocada e tal… Programação: Corporação Musical São José de Bicas, apresentação de músicos locais, desfile de modas, show de comédia stand up,  campeonato de skate, encontro de fuscas e parque infantil.

Inaugurando o evento, Fernanda Silva (secretária de Desenvolvimento Econômico e Turismo), Antônio Augusto Pinho (Casa Petite), Léa Castro (vice-prefeita), Magela Longo (prefeito), Paulo César de Jorge (diretor de Desenvolvimento), Vânia Longo (primeira-dama), Carlos Estevão (presidente da ACE) - Foto: Marcelo Bertolin

Posse na Bahia

O biquense Moisés Guarnieri dos Santos tomou posse no cargo de promotor de justiça do Estado da Bahia. Ele é filho de Oswaldo Ferreira dos Santos e Maria Tereza Guarnieri Santos

Curso de Modelo

Concurso da PMB

Excluviso

A CZA vai aplicar na tela, agora, o artigo que o renomado jornalista esportivo Marcelo Barreto escreveu exclusivamente para o jornal O Município, n. 2.590, edição de março de 2016.

A volta ao mundo em 250 metros

Na infância sem tablet, wifi e Facebook que passei na Avenida Brasília, o Almanaque dos Esportes 1975 era uma de minhas grandes fontes de diversão.

Dividia espaço com a girafa de borracha e o avião grande de plástico que soltava a asa (brinquedos que me fizeram levar um belo tombo, quando tive a brilhante ideia de equilibrar um banquinho sobre uma cadeira para alcançá-los no alto do guarda-roupa de duas portas do meu quarto). Era o livro mais grosso que eu já tinha visto, e resistiu bravamente às milhares de folheadas em busca de detalhes sobre regras e resultados de esportes que eu já conhecia da TV ou descobri ali – distribuídos em ordem alfabética, com o andebol, ainda sem o h que se usa hoje, no primeiro capítulo. Com a Enciclopédia do Estudante da estante da sala, ele formava o meu Google biquense. Um ano depois, quando já o tinha praticamente decorado, os Jogos Olímpicos foram transmitidos ao vivo para o Brasil pela primeira vez.

Naquela época, eu não sonhava carregar a tocha olímpica. Sonhava ser jogador de futebol, nos treinos do Seu Zé Vieira no Esporte, chutando a bola dente de leite sobre os paralelepípedos da rua até que a Sede abrisse ou esperando uniformizado que o jogo transmitido pela TV acabasse para que pudesse entrar no gramado do Maracanã (não consigo me lembrar de como essa espera terminava; se havia alguma frustração, a fantasia não deixou espaço para ela na minha memória). Depois, sonhava ser escritor, redigindo o jornalzinho mimeografado da minha sala no Grupo. E só sonhava, sem imaginar que um dia essas duas paixões se uniriam na profissão que abraçaria, a de jornalista esportivo. Muito menos que os nomes que lia no expediente do Almanaque eram os de futuros colegas: Antonio Maria Filho, em O Globo; Sergio Noronha, na TV Globo e no SporTV.

Antes mundo era pequeno porque terra era grande, como já dizia o poeta Gil.

No meu mundinho de criança, carregar a tocha olímpica não era sequer algo com que se pudesse sonhar. Os Jogos eram sempre muito longe: Montreal, quando eu ainda morava em Bicas; Moscou, quando já tinha me mudado para Juiz de Fora. Imaginar que a maior competição esportiva do planeta chegaria ao Brasil era como acreditar que se pode entrar no gramado do Maracanã pela tela da TV.

Hoje mundo é muito grande porque terra é pequena. Em 1996, cobri os Jogos pela primeira vez, como repórter de O Globo. Estava no estádio em Atlanta quando Muhammad Ali, o Cassius Clay da foto em preto e branco no capítulo de boxe do Almanaque, apareceu para acender a pira. Uma memória olímpica só superada em Copenhague, no dia 2 de outubro de 2009: ao vivo pelo SporTV, vi o presidente do COI tirar de um envelope um cartão com o nome do Rio de Janeiro, cidade-sede de 2016. Ali, o que antes nem sonho era virou projeto.

Eu tinha de carregar a tocha olímpica.

O pessoal da Prefeitura de Bicas não conhecia essa história toda quando me convidou para fazer esses mundos se encontrarem, no dia 16 de maio. E mesmo se conhecesse, não poderia mudar o trajeto definido pelo comitê organizador para que eu pudesse passar bem debaixo da janela do meu quarto de 1975, que ainda se abre para a Avenida Retto Júnior, com o meu sonho olímpico nas mãos. Não precisa. Durante os 250 metros mais simbólicos da minha carreira, vou estar de alguma maneira olhando por ela, vendo lá dentro o menino que folheia o Almanaque dos Esportes.

Marcelo Barreto é jornalista, apresentador dos programas Seleção SporTV e Troca de Passes. Cobriu três edições dos Jogos Olímpicos, uma dos Jogos Paralímpicos e outros eventos. Escreveu o Almanaque Olímpico SporTV, com Armando Freitas e Alexandre Massi. E ainda tem o Almanaque dos Esportes 1975, quase inteiro (com uns rabiscos, páginas amareladas e capa dura, porque a original não resistiu a tantas folheadas).

Bicas Liquida 2016

Centenário do Município

A CZA vai então dizer da programação total do centenário do jornal O Município.

Dia 29 de abril, às 19h, sessão solene da Câmara Municipal de Bicas, em homenagem ao evento…

Dia 30 de abril, às 18h, missa de ação de graças na Igreja Matriz São José…

A partir das 22h, baile com a Orquestra Além Paraíba nos salões do Esporte Clube Biquense.

Especialização

A educadora Kátia Aquino Marciano foi aprovada em 6º lugar entre os 235 concorrentes ao curso de especialização em educação no ensino fundamental da UFJF/Colégio João XXIII.

Arquivos
Categorias