Arquivo janeiro, 2012

Formaturas

Laíse (filha de Lúcia Helena Navarro Jardim e Ewerton do Amaral Jardim) concluiu Mestrado na UFJF, onde se formou em Psicologia em 2009.

Laíse Navarro Jardim

Pra completar, ingressou com êxito no Doutorado em Saúde Coletiva do Instituto de Medicina Social da UERJ.

Fernanda (filha de Marlú de Castro Assis Veiga e Luiz Roberto Machado Veiga) formou-se em Medicina pela Univaço no teatro do Instituto Cultural Usiminas, em Ipatinga/MG.

Fernanda Assis Veiga

Gabriella (filha de Jacqueline Granato Menchise e Eduardo Álvares Menchise) formou-se em Medicina pela Universidade Severino Sombra no Parque Eco Turístico do Trabalhador, em Vassouras/RJ.

Gabriella Granato Menchise

Inauguração

A chef Adriana Machado de Souza inaugurou o mais novo restaurante brasileiro em Lisboa… O “Babete Gastrô Bar” fica no charmoso “Largo do Chiado”.

Nascimento
Nasceu em BH, Alice (filha de Elise Marques Croci Duarte e Robert Guerra Duarte).

A menininha é neta de Elizabeth dos Anjos Marques Croci e José Maria Croci, Regina Maria Guerra Duarte e de Roberto de Assis Duarte.

Alice Croci Duarte

88 anos
Tendo como cenário sua aprazível residência em Maripá de Minas, um apetitoso almoço, preparado pelos filhos Maria Olívia, Walter e José Francisco (Kiko) Machado de Souza, marcou a comemoração dos 88 anos de dona Auta Machado de Souza.

Dona Auta e suas irmãs Iná Machado Possas Araújo, Conceição Machado Veiga, Zilá Machado Tavares (com Ivan Antônio Tavares) e a sobrinha Jucylene Machado Cambraia

Jubileu de Ouro

A ESA recebeu integrantes da Turma Guararapes para a comemoração do Jubileu de Ouro de sua formação.

No evento, em Três Corações, esteve presente o estimado Amauri Machado Possas Araújo, ex-aluno da turma de sargentos, acompanhado de dona Iná (mãe) e Amarilda (irmã).

Inicialmente, houve formatura geral e recepção aos ex-alunos e seus familiares, ocasião em que desfilaram em continência ao general Vasconcellos, Comandante da ESA.

Em momento de emoção, realizou-se o descerramento da Placa Comemorativa ao Aniversário de 50 anos da Formatura de Diplomação da Turma de 1961.

Em seguida, os ex-alunos e visitantes foram convidados a percorrer as diversas dependências e instalações da escola. O saudosismo imperou.

Amauri (camisa azul) e parte da turma

Medalha
Em solenidade realizada no Fórum, a diretora do Foro da Comarca de Bicas, juíza Maria Cristina de Souza Trulio, entregou a medalha “Desembargador Hélio Costa” ao advogado Ângelo Marcos do Vale, escrivão aposentado.

Bodas de Ouro

Lêda e Noé Fonseca comemoraram Bodas de Ouro nos salões do Esporte Clube Biquense, ao lado de Noé Márcio, Leda Márcia, Rosa Maria, Luiz Maurício (filhos), Ricardo, André (genros), Maíra (nora), Mariana, Arthur, Luiza, Lucas e Ighor (netos), além de parentes e amigos.

Martha´s Buffet… Marcelo Zampa e Banda… Cheila Amaral Flores e Decorações.

O casal substituiu o presente convencional por doações de fraldas geriátricas para as entidades beneficentes da cidade.

Noé e Leda com os filhos Noé Márcio, Leda Márcia, Rosa Maria e Luiz Maurício

87 anos
Em meio a grande alegria, amor e união, o professor Fred Granado comemorou 87 anos, ao lado de Edney, Benicia, Eni e demais parentes.

Homem honrado e digno, sabe viver a vida intensamente, curtindo-a com sabedoria. Fred foi professor tradutor de inglês na Mesbla, Rio de Janeiro, e professor de Geografia no Colégio Castro Alves, em Guarará.

Amante da astronomia, não para de estudar.

Professor Fred Granado (camisa clara) e seus familiares

Mais um ajuste

A pedido dos fiéis frequentadores Bar e Restaurante Recanto Natural, o som ao vivo dos sábados será das 18h às 22h.

Formaturas
Jonas
(filho de Carla Maria Machado Barreto Corrêa e Américo Guarnieri Corrêa) formou-se em Direito pelo Instituto Vianna Júnior em solenidade realizada dia 05 de janeiro no Cine-Theatro Central, em JF.

Jonas Barreto Corrêa

Ele é neto de Enir e Maury Barreto.

Luiz (filho de Ione Padula Ferrari e Luiz Ferrari Neto) formou-se em Educação Artística com Habilitação em Artes Plásticas pela UEMG/Escola Guignard, BH.

Luiz Ferrari

Olimpíada
Alunos do Colégio Futuro participaram mais uma vez da Olimpíada Nacional em História do Brasil realizada pela UNICAMP. As equipes são formadas por três alunos e um professor-orientador… Bom disso aí é que o Colégio Futuro chegou à fase final.

Para preparar a participação no evento, a equipe formada pelos alunos Lucas Cúgola Telson, Luiz Frank Granado Júnior e Gabriela Ribeiro estiveram nos arquivos do jornal O Município pesquisando sobre a Fábrica de Calçados Almirante.

Alunos do Colégio Futuro na olimpíada

Nem Pelé

O biquense Barral continua “se achando” e faz sucesso no Rio de Janeiro com seus “golzinhos”, muitos deles assinalados na AABB/Bicas, gramado em que, quando em vez, dá a honra da presença. Siga…

‘Peladeiro’ da Ilha do Governador é autor de mais de 3, 5 mil gols
O contador Paulo Roberto Barral, de 67 anos, começou a registrar as marcações em 1986 por conta de uma aposta com um amigo

PAULO ROBERTO Barral pronto para mais uma partida no Governador Iate Clube, onde marcou a maior parte de seus gols – Foto: Bia Guedes

Muitos insulanos não sabem, mas são vizinhos de uma lenda do futebol amador. Paulo Roberto Barral, de 67 anos, contador por profissão e peladeiro por paixão, é dono de uma marca invejável: até o último fim de semana de 2011, tinha marcado 3.825 gols — todos registrados em documentos com placar, jogadores e local das partidas. Levando em consideração sua média nas duas peladas que disputa a cada fim de semana, ele acredita que conseguirá chegar a quatro mil gols este ano. E, assim como costuma fazer a cada 500, planeja oferecer uma grande festa para os amigos, fazer camisas temáticas e gravar um samba para registrar o novo recorde.

Um fato que chama a atenção na história de Barral é que ele começou a jogar futebol aos 35 anos, por insistência de um amigo, assim que se mudou para a Ilha do Governador.

— No início, eu jogava como goleiro e era tão ruim que os times disputavam para ver quem não ficaria comigo. Certa vez, apareceram outros goleiros para a pelada e me botaram para jogar na linha. Marquei três gols, sendo um de letra, e nunca mais fui colocado como goleiro — conta.

Barral faz questão de ressaltar que não sabe jogar futebol, apenas marcar gols. Define sua posição em campo como “banheirista”, e tem uma frase que sempre repete para explicar seu sucesso:

— Meu time não me passa a bola e o adversário não me marca; então, transformo essa suprema humilhação em gols.

A contagem de seus gols começou em 1986, por conta de uma aposta com um amigo: ambos disputavam o posto de maior artilheiro do ano.

— Acabei vencendo a aposta, mas nunca recebi o almoço que tínhamos disputado como prêmio. Pelo contrário, comecei a promover churrascos para comemorar quando atingia uma marca significativa — diz.

O milésimo gol foi marcado em 1998, e Barral recebeu uma homenagem do Instituto de Assistência do Futebol Brasileiro, ligado à Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que lhe deu uma placa. Pouco depois, ele chegou à marca de 1.320 gols, igualando o recorde mundial no futebol profissional pertencente ao brasileiro Arthur Friedenreich. Em 2003, comemorou a marca de 2.003 bolas balançando as redes.

A maior parte dos gols foi marcada no campo do Governador Iate Clube, onde Barral joga futebol aos sábados e domingos, às 7h. Para melhorar as condições das partidas, o artilheiro bancou do próprio bolso a colocação de grama sintética no local.

Botafoguense, seu grande ídolo da bola é Garrincha, com quem esteve em duas ocasiões. Mas, para muitos peladeiros da região, o ídolo é ele.

— Conheço algumas pessoas que, inspiradas em mim, começaram a fazer a contagem de seus gols. O que eu digo a todos é que tem de ser uma contagem documentada, honesta — frisa Barral, com semblante sério.

Quando perguntado se pensa numa data para pendurar as chuteiras, Barral diz que pretende jogar enquanto tiver condições físicas para marcar gols.

— Acho que ainda tenho muita história para escrever nos campos de pelada da Ilha — diz.

Fonte: O Globo e Extra – Ilha – Repórter: Gabriel Menezes – 08/01/2012

Engenharia de som

Salim (José Sahb de Oliveira Lamha), Advar Medeiros e Messias Lot, integrantes do Grupo Instrumental Nota Jazz, aceitaram o compromisso-privilégio de se apresentarem no curso de engenharia de som da Universidade Bituca de Música Popular.

A Bituca funciona desde 2004 e está instalada em Barbacena, num dos prédios da Sericícola, primeira fábrica de seda do Brasil, cuja história se embaraça com a imigração italiana em Minas Gerais… (www.bituca.org.br).

Portugal
Vitória de Paula Rebouças e Amilcar Monteiro da Silva Rebouças deram uma virada em Portugal, país em que, entre outros lugares, percorreram o caminho das caves (adegas) de vinho do Porto.

Na paisagem, dá pra pescar o Rio Douro e um pedacinho da “Ponte Luiz I.”

Entidade Benemérita

A Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), 51 anos, foi homenageada na Câmara Municipal de Juiz de Fora. O vereador Isauro Calais (PMN) fez a entrega de título de Entidade Benemérita em solenidade no plenário Francisco Afonso Pinheiro, ressaltando a importância da instituição para Juiz de Fora e Zona da Mata, uma região com mais de 2 milhões de habitantes. “A universidade influencia em todos os níveis de desenvolvimento, desde o intelectual até o econômico”, disse, enfatizando a atuação do reitor Henrique Duque.

A lei 3858, que tornou federais as cinco faculdades que existiam na cidade (Engenharia, Farmácia e Odongologia, Medicina, Economia e Direito) foi sancionada pelo presidente Juscelino Kubitschek em 23 de dezembro de 1960. Com o primeiro reitor, Moacyr Borges de Mattos, foram incorporadas a Faculdade de Filosofia e Letras (Fafile) e a Faculdade de Serviço Social. As obras no campus tiveram início em 1968, com projeto de Arthur Arcuri, tendo Gilson Salomão como reitor. Desde então, a UFJF ampliou suas instalações, seu quadro de profissionais e sua inserção junto à comunidade.

A dimensão de sua importância é revelada em números. Conta atualmente com mais de 2 mil funcionários, entre técnicos e professores, dos quais 462 doutores e 208 mestres. Agrega 16 unidades acadêmicas, com 36 cursos de graduação, 23 de mestrado e 9 doutorados que, junto com as especializações, MBA, residência, níveis médio, fundamental e técnico, contempla 18 mil alunos.

Virada

Foi em clima de muita festa que os irmãos Fábio, Fabrício e Francele Galil receberam os amigos na Estância Dom Viçoso (restaurante, bar e cachaçaria), em JF, na virada do ano.

Marcaram presença no recinto: João Guilhermino com a esposa Claudia Galil, as filhas Laísa, Natália (Brasília) e o genro Breno… Igualmente, na área, Bernadete e Luis Miguel, ex-gerente do Banco do Brasil em Bicas.

João Guilhermino, Natália, Laísa e Cláudia

Fábio, Cláudia, Fabrício, Francele e Laísa

Carnaval
Empolgado com o sucesso do réveillon, o secretário de Cultura de Bicas, Alex Mendes, falou do Carnaval.

Diga, aí, Alex!

“São momentos como esses, após um belíssimo réveillon, que ficamos ainda mais animados em brindar a todos os biquenses e turistas com mais um grande espetáculo. E isso será possível muito em breve, em fevereiro, quando apresentaremos mais um grande evento, com ótimas atrações e estrutura ainda melhor que a da virada. Este ano estaremos cobrindo toda a avenida para que nem a chuva possa impedir nossos foliões de pular o Carnaval.”

Novidades
Como acontece todos os anos, após a parada tradicional de fim de ano, o Recanto Natural volta motivado e com novidades. A mais importante mudança é quanto ao horário de funcionamento aos sábados: a casa abrirá para almoço e fechará às 20h, mas o som ao vivo continua. Segura a peneira que tem show em janeiro…

Dia 13, sexta, Wallace Ferrari, pop rock, 20h30… Dia 14, sábado, Edimar Augusto, MPB, 16h… Dia 20, sexta, Dayane Cássia, MPB, 20h30… Dia 21, sábado, Marcelo Cameron, pop rock, 16h… Dia 27, sexta, Wallace Ferrari,  pop rock, 20h30… Dia 28, sábado, Janduil e Fabiano, sertanejo, 16h.

Versos da solidão

Ao receber na casa de mãe (Aparecida do Salim), via correios, com todo tche tche tere, a mais recente publicação do escritor Chicre Farhat, “Versos da solidão”, a CZA se sentiu deveras distinguida.

Diz o sensível intelectual em sua dedicatória… “Ao brilhante e saboroso colunista ‘Zé Arnaldo’, o velho e fraternal abraço de admiração do Chicre Farah”.

A CZA aceita as palavras, devolvendo-as, no superlativo, para o grande vernaculista biquense, pois ele é o cara. É o cabra que põe a cidade nos píncaros das letras Brasil afora, grande domador que é do abecedário. Ao embaralhar as palavras, corta o vocábulo no lugar certo e os distribui harmonicamente no papel, em detalhes.

Na nova obra, em belos versos, o autor trata de temas variados, mormente encantam as poesias dedicadas à atração, à sutileza, ao mistério e ao enigma desenvolvidos “naturalmente” pelas mulheres.

“Versos da solidão” veio se juntar aos outros bons livros escritos pelo Chicre: Por que Matei o padre, A culpa dos inocentes, O resgate, Canto do entardecer, Só ao vento fala e Olhar de Nereida.

Biografia
Aos que ainda não o conhecem e aos mais jovens, segue resumida biografia do autor:

Chicre Farhat nasceu no dia 5 de março de 1927, em Bicas, Minas Gerais. Fez o ginásio e o curso clássico, interno sete anos no famoso e centenário Instituto Granbery, em JF. Estudou direito na UERJ, sendo eleito orador da turma. Trabalhou como advogado 31 anos no Banco do Brasil. Foi jornalista dos Diários Associados, chefe de gabinete da presidência da Light e assessor especial do deputado federal e ex-ministro do Supremo Tribunal, Bilac Pinto, quando este ocupou a Secretaria de Finanças, no governo Magalhães Pinto.

Arquivos
Categorias