Arquivo março, 2005

Coluna nº 153

Fotos
O Foto Adelson retratou o Carnaval… O resultado está no final da Coluna.

Rádio Alternativa…
Desejo feliz voz, percepção e doses de criatividade aos já consagrados artistas da Rádio Alternativa: Deusdet Rodrigues, Aloísio Barros, William Dolavalle e Fran Ferrari.

Recados
Brevemente, os anunciantes vão receber banners especiais.
É o recomeço…
Quando necessários, alguns ajustes serão feitos no visual da página.

De volta…
Tendo ao norte problemas técnicos com o ex-provedor, a coluna esteve sem ser atualizada por um período. Não é o caso de contar “quanto tempo”, para não cair naquela de “ninguém merece”.

O que passou, passou… Tudo passa! O que você merece é que ela está aí, retornando, com novo nome e de cara nova. O lance agora é divulgar o www.zearnaldo.com, ecoando o endereço.

De início, até que eu saia de um sufoco em que me meti e, para que todo mundo se habitue com o novo nome da coluna, ela será atualizada, mensalmente. Depois, a gente vê como é que fica.

Recordar
Como a edição 152 apareceu na tela, ora sim, ora não… truncada, vou repeti-la, sem deixar de falar no carnaval do professor Honório.

Tudo, vá lá, meio fora do tempo; mas é só pra começar a organizar a bagunça.

Brabulêtas
Em JF, tem um bloco muito legal que se chama “Concentra, mas não sai”. É o que virou o “Bloco das Brabulêtas Fremosas Gay Fantasy Meninas do Edir”. Esse é o nome completo do babado, fundado, em 1980, pelo Edir, Zé Arnaldo, César Prata, Adauto Lagrota, Luís César do Homerinho, Lalado Machado, Marquinhos Abrantes, Carlinhos Alhadas, Edinho Marru e lá vai fumaça…

Nas épocas áureas das Brabulêtas, o pessoal demorava; porém, saia rua afora, a bailar, por volta da meia-noite… Atualmente, sem dono e sem cara, o bloco concentra, mas não sai. O público desistiu.

Clubes
Deu certo o carnaval do Esporte e do Clube Biquense. Boa parte dos foliões, principalmente, os mais maduros, estão sem paciência de ficar nas ruas, no “vai-e-vem parado”. Os bailes estão aprovados e devem continuar.

Escolas de Samba
Os organizadores, em conjunto com as agremiações, precisam dar um jeito. Não é possível tanta demora. A penetração na avenida tem que ser mais ágil.

Quem inovou mesmo este ano foi o HV…
Ordenado pelo presidente, Guto Figueiredo, o carnavalesco Sidney Barino deu vestes novas e atraentes ao verde e rosa.

Quanto à Real Biquense e a Mocidade das Abelhas (minhas escolas), nada de novo. Seguiram o curso dos últimos anos.

Alerta sintético: a Real precisa trabalhar no sentido de conseguir figurantes para as suas alas e, a Mocidade, não pode achar que sua bateria é o máximo… e pronto.Os figurões também precisam ensaiar.

Bloco da Cana
Até por conta da renovação político-administrativa do município, o Bloco da Cana arrasou, arrastando uma multidão calçamento afora. Parabéns ao Julinho Sales e cia.

Comissão Organizadora
Com pouco tempo de casa, os organizadores oficiais da folia não decepcionaram.
Houve até inovação nos quesitos camarote e iluminação.

Cumprimentos à secretária Vânia Amorim e, aos diretores, Alex Mendes e Siri, dentre outros.

Moçada nova
Recentemente montada, a banda Gato por Lebre já está fazendo shows “direto e reto”, apresentou-se, inclusive, no afamado Mezcla, em JF.

Gibram Lamha, filho do peixe Salim, toca percussão, juntamente com Doidão Salgado.

O resto do pessoal é Lucas Soares (violão), Ski Fernandes (violão solo) e Dudu Costa (vocal).

Casamento
Marícia (filha de Marly Terra Agrelli e José Carlos Agrelli) e Silmar (filho de Maria Odaléa Fernandes Sales e Pedro Herberto de Almeida Sales), casaram-se, dia 22 de janeiro, na Igreja Matriz São José de Bicas.

90 anos
Maria da Conceição de Paula Guarnieri, a dona Filhinha, viúva de Felipe Guarnieri, completou 90 anos.

A festança aconteceu no Palazzo di Fiori, onde estiveram presentes os filhos José Maria, Marly, Getúlio, Penha, Lúcia Maria, Antônio e Jésus.
Também, noras, genros, 27 netos, 32 bisnetos e 1 tataraneto.

Clube Biquense
O Clube Biquense já trabalha sob nova direção: presidente, Jorge Salomão Netto; vice-presidente, Alfredo Borges de Freitas; tesoureiro, Gilmar Gomes de Oliveira; administração, Vasco Leite de Almeida; patrimônio, Said Salomão; jurídico, Fabíola Moreira Croce; médico, José Aparecido de Souza; esportes, Vinícius Salomão; social, Jaime Croce; secretário geral, Carlos Estevão Dias de Castro.

Bodas de Ouro
Zilá e Ivan Antônio Tavares comemoraram Bodas de Ouro, em Juiz de Fora.
A Igreja Bom Pastor foi o palco religioso e, o Clube D. Pedro, o social.

Presente os filhos Leivânia, Evandro, Carmem, Ivanzinho e Rodrigo, além dos irmãos do casal, netos, genros, noras e familiares.

Com os Guilhermino
O Salão Avenida do Ritz Hotel esteve movimentado com a festa dos 40 anos do advogado Gerson Guilhermino.

Especialmente para abraçar o tio, quem veio do Rio foi o apresentador do SportTV, Marcelo Barreto (com Simone).
Fonte: jornal Tribuna de Minas – Coluna César Romero

Formaturas
Mariana Sarto Figueiredo, filha de Marícia Sarto Lessa Figueiredo e Roberto Lessa Figueiredo, em Nutrição, pela Universidade Federal Fluminense, em Niterói.

Cristiane Stersa de Almeida, filha de Maria de Fátima Stersa de Almeida e Aldair Pires de Almeida, em Bioquímica, pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Vinícius Oliveira Castro, filho de Sônia Elizabeth de Oliveira Castro e Hudson Fausto Dias de Castro, em Direito, pela Faculdade de Direito Vianna Júnior.

Flávia Condé Della Garza, filha de Vera Condé Della Garza e Ronaldo Della Garza, em Direito, pela Faculdade de Direito Vianna Júnior.

Marcelle Machado Minateli, filha de Marilene e Dézio Minatelli, em Ciências-Habilitação Plena em Matemática, pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora.

Igor Castilho Porsette, filho de Maria Aparecida e Carlos Castilho Porsette, em Letras, pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

Tatiana Machado Araújo Haddad, Mestrado em Relações Internacionais, na Pontifícia Universidade Católica, no Rio de Janeiro.

Ana Paula de Castro Guarnieri (foto), filha de Sônia Maria e Paulo Roberto Guarnieri, em Pedagogia, pelo Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora.

Em busca de soluções
Dívidas e cofres vazios é o quadro que se encontra em dezenas de municípios mineiros, nesse início de mandato. Em busca de saída para a falta de documentos, computadores, veículos, móveis e até papel, os prefeitos estão aceitando ajuda de todos os lados.

Muitos deles estão recorrendo a advogados da Associação Mineira de Municípios (AMM) que, ampliou a sua assessoria jurídica, para atender tamanha demanda. Em meio a tantas denúncias, a Promotoria Especializada em Crimes Praticados por Prefeitos dá um grito de desespero e avisa: “O Ministério Público não é 190″, ressaltou o promotor Gilvan Alves Franco, que já perdeu a conta de quantos casos está investigando.

“O prejuízo está feito. Agora temos que ver o que é ilegal e o que não é. Contra o mau administrador, não têm recurso, só o voto do povo”, desabafou. O caos nas prefeituras mineiras traz à tona velhas discussões como desvio de dinheiro, desorganização, falta de recursos e má distribuição tributária.

O prefeito de Mariana, Celso Costa Neto (PMDB), que foi empossado na presidência da AMM, no dia 19, justifica que um dos grandes problemas das prefeituras é a falta de recursos. “Nós participamos de apenas 14% do bolo tributário, mas as obrigações só aumentam, principalmente nas áreas de segurança, saúde e educação”, frisou.
Fonte: jornal A Região

Livro
Há uma especulação sobre a sobrevivência do livro na configuração atual. Que pese o avanço da tecnologia que, para muitos, é uma ameaça à sobrevivência do livro, os grandes escritores têm se manifestado tranqüilos.

Para José Sarney, da Academia Brasileira de Letras e presidente do Senado, o livro nunca acabará, porque ele é simplesmente produto da mais espetacular das invenções tecnológicas: cai e não quebra, não precisa de tomadas elétricas para ser usado, pode ser levado de um lado para o outro e estar em qualquer lugar, seja numa sala, numa varanda, no quarto, na privada e até debaixo de uma, sob os cuidados de um leitor.

Os perigos que ameaçam os livros são os mesmos de todas as épocas: insetos, fungos, umidade, fogo, desprezo humano e a falta de leitores e pesquisadores. O mesmo pensou-se dos jornais e revistas quando surgiram o rádio, a televisão e, mais recentemente, a internet. Ao contrário do que se esperava, a imprensa escrita está até mais fortalecida e mais atraente.
Fonte: jornal O Município – Coluna Cultura, Gente e Idéias – Júlio C. Vanni

Na Sapucaí
Direto da Marquês de Sapucaí, desfilando na Portela: Mariazinha Cúgola, Noé Márcio e Tereza Silva.

Bicas Carnaval 2005

Mocidade das Abelhas

Unidos do HV

Real Biquense

Camarotes

Arquivos
Categorias